Torus - 2015

O novo álbum

Depois de uma temporada apresentando ao mundo seu primeiro trabalho autoral - o disco Pulsares - com shows realizados em Maceió, São Paulo e Nova Iorque, o duo completíssimo formado pelos cantores, compositores e multiinstrumentistas, Ana Galganni e Jr. Bocão partiu para sua segunda gestação, o disco Torus, que chegou ao mundo graças a uma bem-sucedida campanha de financiamento coletivo feita em março/abril de 2015. 

Seguindo a linha de “Pulsares”, que na astronomia significa estrelas de nêutrons muito pequenas e muito densas que entraram em colapso - fenômeno também conhecido como supernova -, o segundo álbum também carrega o conceito ligado ao universo e a energia cósmica. “Nós escolhemos falar sobre estes assuntos porque eles nos inspiram e realmente gostamos de pesquisar sobre estas forças. De certa maneira, refletimos a busca de muitas pessoas ao conhecimento e nossas músicas estão totalmente imersas nestes conceitos”, afirmou Ana Galganni.

Segundo o casal, o nome Torus foi escolhido a partir da forma como se deu o processo do nascimento das canções. "As músicas surgiam de um modo natural, e foram escritas muito rapidamente.", explica a dupla. Torus é o padrão energético encontrado na natureza que existe em todos os lugares, desde átomos a galáxias e está presente em tudo. "Diferente de Pulsares, este segundo álbum é mais orgânico e exploramos novas possibilidades, com instrumentos diferentes. As músicas do novo disco são mais dançantes e as letras dissertam sobre coisas como os sólidos platônicos, o conceito da geometria sagrada, a flor da vida e o universo. Partimos para a observação do mundo externo, que influenciará o nosso mundo interno e transformará o mundo externo e assim por diante - que é de certa forma o conceito de Torus em si", explica Jr. Bocão.

O álbum conta com a participação de vários músicos brasileiros e estrangeiros como Wado, os baixistas Lee Marcucci (Tutti-Frutti, Rita Lee, Rádio Táxi), Pedro Baldanza (O Som Nosso de Cada Dia), Vinicius Junqueira (Os Mutantes), a cantora Esméria Bulgari (Os Mutantes), o compositor Luís Nenung (Os The Darma Lóvers), o grande baterista Carlos Bala (Djavan), o percussionista erudito Augusto Moralez, o rapper Vitor Pirralho, o percussionista Luciano Brandão,  Sonic Júnior - baterista, percussionista e produtor de música eletrônica, o baterista Leandro Amorim, o guitarrista Marco Túlio Souza, o baixista Bruno Ribeiro, além da cantora e violinista londrina Hana Piranha, o baterista de Austin/Texas Jason Meekins (The Meekins Family), o trumpetista novaiorquino Matt Giella (12KO), a cantora Élan Noelle de Washington DC, o trombonista e compositor escocês Ross MacCrae e o cantor e compositor canadense Chris Cummings

Assim como Pulsares, a masterização de Torus foi feita em Abbey Road com o Frank Arkwright, que é considerado um dos maiores masterizadores do mundo. O curriculo do inglês tem nada menos que Coldplay, New Order, Oasis, Emilie Simon, Belle and Sebastian, Fatboy Slim entre outros. A arte gráfica do CD conta com desenhos de Ana Galganni, fotos de Roberto Fernandes e design de Bruno Clériston.

Ouça Torus

Disponível 


Pulsares - 2014

O álbum de estreia

Pulsares são pequenas e densas estrelas de nêutrons que giram rapidamente, criando um pulso

sonoro emitindo energia constante. Essa energia é concentrada em um fluxo de partículas eletromagnéticas. Quando a estrela gira, o feixe de energia é espalhado no espaço, como o feixe de luz de um farol. Eles provavelmente são os restos de estrelas que entraram em colapso, fenômeno também conhecido como supernova. (fonte: Wikipédia).

O título "Pulsares" faz uma analogia ao caldeirão sonoro proposto pelo duo Divina Supernova neste primeiro trabalho de estúdio. Com uma estética que une o pulso das batidas eletrônicas com influências da música brasileira, o disco apresenta canções modernas e delicadas, um experimento realizado no estúdio Divina Home da dupla, onde Ana Galganni e Júnior Bocão puderam dar vazão as suas idéias e anseios.

Com produção de Júnior Bocão, o disco traz em suas doze canções autorais as participações do produtor e músico Alvinho Cabral (Fino Coletivo) que tocou guitarra na canção "Coisas Sobre Ela", onde o tecladista Leonardo Luiz (Mopho e e Messias Elétrico) também participa. Sonic Jr. co-produziu "O Texto, o Conto e o Canto"  e uniu suas idéias ao som do Divina Supernova. Marco Túlio Souza (Mopho) emprestou suas cordas nas canções "Instigação" e "Revenge". Félix Baigon, que acompanha o duo há algum tempo, gravou seu contrabaixo acústico em "Ao Ver o Mar", música que também tem o piano de Billy Magno, o trompete de Nataniel Oliveira e a bateria de Leandro Amorim. O tecladista e produtor Dinho Zampier toca o teclado de "Mundo Novo" e também assina e produz uma das faixas, "A Romã". O acordeonista francês Mathieu Lebreton participa da "Valsa das Estrelas" e Paulinho Pessoa com seu violão, toca em "Sonhos de Liberdade". 

"Pulsares" tem projeto gráfico desenvolvido por Bruno Clériston, fotos de Felipe Brasil e Alexis Limousin,  conta com mixagem de Jr. Bocão e masterização de Frank Arkwright (Abbey Road Estudios, em Londres).

Ouça Pulsares